Para que serve o alfabeto manual?

Para que serve o alfabeto manual usado na língua de sinais?

Questionar para que serve o alfabeto manual parece algo sem sentido, para quem tem pouco ou nenhum contato com a Língua Brasileira de Sinais, a Libras. Em qualquer alfabeto, as letras servem para escrever palavras, que por sua vez formam frases e, assim permitem a comunicação, certo? Não exatamente. A lógica da língua de sinais é distinta, em alguns aspectos, daquela que rege línguas orais e escritas, e uma das principais diferenças encontra-se no uso do alfabeto. O curso online grátis sobre Libras do Veduca ajuda a entender por quê.

Em idiomas como o português, o espanhol ou o inglês, se as letras do alfabeto não existissem, seria impossível exprimir qualquer ideia, pois as palavras não poderiam ser formadas. As letras, nessas línguas, simbolizam um som, e cada palavra constitui-se por um conjunto de sons. Quando queremos falar de uma casa, por exemplo, usamos a sequência de sons formada pelas letras “c”, “a”, “s” e “a”. Como já está combinado entre todos os ouvintes que esses sons, nessa sequência, indicam casa, quando o falante emite esses sons, o ouvinte associa isso a uma imagem ou a uma ideia e entende do que se trata.

Já na Libras, o sentido que predomina não é a audição, mas a visão. Cada palavra corresponde a um posicionamento ou a um movimento de dedos e mãos e, ainda, de expressão facial e corporal. Esses elementos, somados, constroem o vocabulário e também a estrutura gramatical da língua de sinais. Quem usa a Libras, portanto, expressa a maior parte das suas ideias sem precisar do alfabeto.

Então, para que serve o alfabeto manual?

É justamente essa diferença entre a lógica da Libras e a das línguas orais que explica para que serve o alfabeto manual. Os usuários da Língua Brasileira de Sinais vivem em um mundo em que a maioria das pessoas é ouvinte e não domina a Libras. Por isso, algumas palavras usadas pelas pessoas ouvintes não têm um correspondente na Língua Brasileira de Sinais. É o caso de nomes próprios, siglas e endereços. Seria impossível convencionar um sinal para cada nome de rua que existe em uma cidade grande, por exemplo, o que leva a Libras a recorrer, nesses casos, às letras.

Para que serve o alfabeto manual? Foto do mar de prédios no Centro de São Paulo

“Mar de prédios” no centro de São Paulo: alfabeto manual ajuda a expressar endereços, tarefa que seria impossível se cada rua tivesse que receber um sinal

“O alfabeto manual é uma representação que usa articuladores visuais, especialmente as mãos, para produzir letras que representam as mesmas letras da língua oral e escrita. Esse mecanismo foi estabelecido para trazer a possibilidade de contato da Libras com outras línguas”, explica Ronice Müller de Quadros, professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pesquisadora das línguas de sinais.

Essa ponte que o alfabeto manual permite construir não substitui, evidentemente, os sinais e a gramática próprias da Libras, mas enriquece as possibilidades de expressão dos usuários da língua. Um exemplo é o momento da apresentação entre duas pessoas que falam Libras. Ao se conhecerem, elas costumam informar seu nome, uma à outra, usando o alfabeto manual. Porém, como explica este post do Blog do Veduca, é comum que logo em seguida elas compartilhem o sinal que serve para identificá-las, de forma que elas não tenham que soletrar mais seus nomes toda vez que se referirem uma à outra. O alfabeto, portanto, é um entre os vários recursos utilizados para se comunicar em Libras e, quando usado, serve para introduzir, em uma língua baseada na lógica de um sinal para cada palavra, a lógica da língua oral, baseada em letras.

É difícil aprender o alfabeto manual?

Quando compreendemos para que serve o alfabeto manual, fica mais fácil entendermos que, ao conhecer os sinais que representam cada letra, não nos tornamos automaticamente fluentes em Libras. A Língua Brasileira de Sinais é tão complexa quanto as línguas orais e é preciso conhecer seu vocabulário e sua gramática, para realmente dominá-la. Por isso, em um curso sobre o tema, o alfabeto recebe a mesma importância das outras lições e não impõe grandes dificuldades. Da mesma forma, a alfabetização em Libras pode transcorrer sem dificuldades particulares, se as crianças surdas receberem a atenção adequada.

Paraque serve o alfabeto manual: criança pinta desenhos infantis

Criança pinta desenhos infantis: educação em Libras desde jovem facilita o aprendizado para pessoas surdas, diz pesquisadora

“Para a criança que usa a Libras, se ela nasce em um ambiente linguístico favorável, em que desde o seu nascimento ela tem contato com pessoas surdas e que usam a língua de sinais, seu desenvolvimento linguístico, cognitivo e emocional se dará da mesma forma que o de uma criança ouvinte. Ela não terá problema nenhum de aquisição de língua”, afirma a professora Claudney Maria de Oliveira e Silva, coordenadora dos cursos de Letras-Libras e Letras: Tradução (Libras-Português) da Universidade Federal de Goiás (UFG).

A professora lembra que as barreiras para as pessoas surdas vêm muito mais frequentemente da inadaptação da sociedade a elas do que de alguma dificuldade delas para aprender Libras ou Língua Portuguesa.

“Vemos que é comum a ideia de que o surdo é quem não consegue fazer algo, mas, na verdade, nós, ouvintes, em geral também não conseguimos falar a Libras. A gente busca aprender inglês, francês, línguas estrangeiras e temos boas razões para isso. Porém, não há muita preocupação em aprender a Libras, que é uma língua oficial do Brasil”, diz Claudney. “Por isso, o desafio da pessoa surda está muito mais em encontrar seu lugar na sociedade, em função da falta de competência do outro”, ela complementa.

Quer saber ainda mais sobre para que serve o alfabeto manual ?

Este post do blog Meu Mundo em Silêncio é de 2011, mas o relato segue atual. Nele, o instrutor de Libras Jairo Fernando compara sua experiência em duas escolas, uma em que ouvintes e surdos estudavam juntos e outra onde havia turmas só para alunos surdos.

No vídeo abaixo, a professora de Libras Kátia Regina Lourenço ensina o alfabeto manual e relembra a música que, nos anos 1990, popularizou esse alfabeto no Brasil, o Abecedário da Xuxa. Sabermos para que serve o alfabeto manual é importante, para não acharmos que basta aprender o abecedário para falar a língua de sinais. Ainda assim, conseguir representar cada letra pode ser útil e, talvez, aguce a vontade de saber mais sobre a Libras, por que não?

Em breve, o Blog do Veduca vai abordar os desafios e conquistas da comunidade surda brasileira, em novos posts. Acompanhe!

 

Compartilhe este post:

Sem comentários